Buscar
  • Guilherme

INSTITUCIONAL: TRF1 investe na capacitação de servidores que utilizam o PJe

Ao identificar a quantidade de demandas relativas ao sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, por meio do Centro de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento de Servidores da 1ª Região (Cedap), unidade vinculada à Secretaria de Gestão de Pessoas (SECGP), e da Comissão Técnica Regional do Processo Judicial Eletrônico (CTR-PJe-TRF1), decidiu pela elaboração do curso a distância (EaD): “PJe Básico”.


Destinada a servidores da Justiça Federal da 1ª Região que utilizam o sistema, a ação educacional foi criada com o objetivo de contextualizar o uso das funcionalidades da versão 2.0.0.7 do PJe em relação às normas processuais e procedimentais da JF1.


Foram três meses de trabalho para desenvolver um curso a distância que proporcionasse aos aprendizes identificação e utilização das funcionalidades básicas disponíveis no PJe do 1º e 2º graus e aplicação das normas processuais e procedimentais modeladas por fluxos de rotinas delimitados pela ferramenta.


Considerando a necessidade de conhecimento da metodologia adotada pelo TRF1 na condução de treinamentos sobre o sistema, entre os formadores do PJe indicados pelo Núcleo Regional de Apoio ao Processo Judicial Eletrônico (Nupje), três servidores da JF1 aceitaram o convite para atuarem como conteudistas da capacitação.


Fabrício Ramos Ferreira, chefe da Assessoria do desembargador federal Daniel Paes Ribeiro; Carlos Roberto Santiago Meneses, diretor da Secretaria da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária de Rondônia (SJRO), e Jeiel Vaz Macedo, supervisor da Seção de Execuções da Secretaria da 1ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Itabuna/BA, elaboraram o desenho, os módulos e as unidades do curso.


Juntos, os conteudistas gravaram e editaram 76 videoaulas demonstrativas de rotinas, funcionalidades e procedimentos do PJe. Com base nesses vídeos, a equipe do Cedap produziu, sob a coordenação da Seção de Ações Educacionais Virtuais (Seavi), 67 tutoriais escritos para compor o material de leitura da ação educacional, contando com o auxílio da Divisão de Modernização Administrativa e Produção Editorial (Dimpe) para a revisão de texto.


Com o conteúdo pronto, 17 unidades distribuídas em 6 módulos, o curso passou por teste com uma turma-piloto, formada por servidores das áreas fim do TRF1 e das Seções Judiciárias da 1ª Região, no intuito de apontar pontos positivos e possíveis melhorias para o aperfeiçoamento da capacitação.


Após esse processo, o Cedap abriu inscrições para duas turmas, e o número de pessoas interessadas superou as expectativas: mais de 1,1 mil servidores da JF1 se inscreveram ao curso! Somente na Seção Judiciária de Minas Gerais (SJMG) foram quase 350 interessados, o que levou a Seccional a abrir, com o apoio do Cedap, mais duas turmas exclusivas para atender às demandas locais. “Foi um trabalho hercúleo, que envolveu muita dedicação e comprometimento de toda a equipe”, afirmou a diretora da SECGP, Estela Maria Barbosa da Cruz. “E a grande procura pelo curso reflete a decisão acertada da Administração do Tribunal de investir no ensino a distância”, pontuou a diretora.


Foram tantas as inscrições que o Cedap estendeu a quantidade de alunos da Turma 1 de 300 para 350 e analisa, ainda, a possibilidade de abrir uma terceira turma em 2019. “O PJe é um sistema que está em constante evolução, e nós verificamos, até mesmo pela procura dos servidores, que havia uma carência muito grande de treinamento do sistema”, avaliou o diretor do Cedap, Jean Carlo Batista de Oliveira. O período de realização da Turma 2 será de 21/10 a 27/11/2019.


Jean explica que uma capacitação a distância não vai e nem pretende esgotar todas as necessidades dos servidores relativas ao PJe, mas “é uma grande ajuda para que o usuário tenha mais subsídios e respaldos para ingressar nesse mundo do processo eletrônico e um pontapé inicial para incentivá-lo a buscar cada vez mais informação e aperfeiçoamento”.


A ideia é que os participantes conheçam o sistema a fundo, com as funcionalidades que ele oferece, para proporcionar aos usuários rotina de trabalho mais célere, efetiva e produtiva com um resultado satisfatório no dia a dia.


Espaço colaborativo - Por se tratar de um curso autoinstrucional, ou seja, sem presença de um tutor, além de o conteúdo produzido pelos instrutores, os aprendizes contam com ambiente de colaboração em que os próprios participantes criam uma rede de ajuda.


O Fórum Tira-Dúvidas existe com o intuito de disponibilizar um espaço para que os questionamentos que surgirem ao longo do processo sejam postados e respondidos pelos usuários, construindo um ambiente de troca de informações e de experiências.


“Como o curso não tem a figura de um professor que fique o tempo todo com os aprendizes, nós criamos esse espaço deixando bem claro que seria um ambiente de troca entre os servidores para que eles mesmos se ajudassem”, afirma a supervisora da Seavi, Vera Lúcia C. R. Mendes.


Apesar disso, algumas dúvidas podem atingir nível específico em que seja necessária a explicação de um especialista na plataforma. Nesses casos, os pontuais questionamentos serão enviados à respectiva Comissão Técnica Seccional para o devido esclarecimento.


Repositório – Aos servidores que não participaram do curso e aos aprendizes que desejem buscar informações sobre o sistema, o Cedap disponibilizará, em breve, um repositório com todo o material da capacitação.


As videoaulas e os tutoriais poderão ser acessados por magistrados, servidores e colaboradores, a qualquer tempo e de qualquer lugar, por meio da plataforma Moodle sem a necessidade de cadastro ou de ter feito parte das turmas da ação educacional.


Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região


Fonte: Jusbrasil